Carne vermelha e diabetes

Mais um estudo de epidemiologia nutricional sugerindo que carne vermelha está associado a diabetes – entenda porque é um estudo fraco.

Low-carb, diabetes e mortalidade

Como o estudo não é um experimento, o que os autores tentaram fazer foi, revendo as respostas dos questionários de frequência alimentar que estes indivíduos respondiam periodicamente, separar aqueles que adotaram (por conta própria) uma dieta low-carb moderada (39% de carboidratos – ou seja, bem moderada) versus os que continuaram comendo de acordo com as diretrizes (60 inacreditáveis por cento de carboidratos – lembrando que são diabéticos). O principal achado é que, em pacientes diabéticos tipo 2 que passaram a adotar uma dieta mais pobre em carboidratos, foi constatada uma menor mortalidade por todas as causas.

This post is only available to members.

Biodisponibilidade: o que importa é o que você absorve

Você já pensou por que motivo não podemos apenas chupar um prego todos os dias pela manhã, já que precisamos de uns poucos miligramas de ferro por dia? Falando sério, por que isso não daria certo?

This post is only available to members.

Lipedema

Lipedema é uma condição que afeta quase exclusivamente mulheres, pouco conhecida dos médicos e mais comum do que se imagina. Caracteriza-se por acúmulo de gordura nos membros inferiores, de forma simétrica, e desproporcional, ou seja – não é uma manifestação de obesidade (embora possa coexistir com obesidade e ser agravada por ela).

This post is only available to members.

Rins policísticos, carne vermelha, low-carb e diabetes

Fica aqui a lembrança de que não, low-carb não faz mal para os rins; aliás, pelo contrário, é possível que ajude – tanto em rins policísticos como em condições muito mais comuns: as causas mais frequentes de insuficiência renal crônica são diabetes e pressão alta, para as quais low-carb é uma das melhores alternativas.

This post is only available to members.

Comece digitando para ver os posts que procura.
Loja
0 item Carrinho
Minha conta